PEQUENOS MÚSICOS - Prof.ª Carla Nunes

Blogue de apoio às aulas de Educação Musical de 2.º Ciclo e de 3.º Ciclo

segunda-feira, 13 de abril de 2009

O Som e as suas características III - A Intensidade

A Intensidade

A intensidade dos sons depende da amplitude da vibração. De facto, quanto mais forte for o estímulo dum corpo vibratório, mais forte será o seu som e vice-versa. Assim, se batermos, por exemplo, o teclado de um piano, produziremos sons mais fortes ou mais fracos, de acordo com o maior ou menor vigor com que tocarmos. Isso acontece porque a nossa energia é transmitida pelo teclado às cordas produtoras de som existentes no interior do piano.

A amplitude entre os sons muito fortes e muito suaves divide-se em vários graus de volume. Estes representam-se por meio de sinais de expressão que se escrevem geralmente sob a pauta musical, indicando qual a intensidade com que as notas devem ser tocadas. Numa composição musical, a transição de um grau dinâmico para outro pode ser repentina ou gradual. A transição gradual de uma dinâmica para outra indica-se geralmente por meio de um sinal, podendo ser também indicada por palavras:
pp - Significa pianíssimo e refere-se aos sons muito pouco intensos, isto é, aos sons muito fracos.

p - Significa piano e refere-se aos sons pouco intensos, isto é, aos sons fracos.
ff - Significa fortíssimo e refere-se aos sons muito intensos, ou seja, aos sons muito fortes.
f - Significa forte e refere-se aos sons intensos, ou seja, aos sons fortes.
mf - Significa meio - forte e refere-se aos sons que não são muito fracos nem são muito fortes, quer dizer, aos sons intermédios.

A este aspecto da música, que estuda a variação da intensidade dos sons, dá-se o nome de dinâmica.

Crescendo e Diminuendo

Partindo de um som meio-forte podemos chegar a um som forte ou mesmo fortíssimo. Da mesma maneira, partindo desse mesmo som inicial, também podemos chegar a um som piano, ou mesmo pianíssimo.

No entanto, em música muitas vezes pretende-se que o som comece muito forte mas que vá diminuindo de intensidade ou, pelo contrário, que comece muito piano e que vá aumentando de intensidade. Para representar simbolicamente o aumento ou a diminuição da intensidade do som criaram-se dois sinais: crescendo e diminuendo.

5 comentários:

Viagem secular disse...

Oi Carla, gostei muito do post, encontrei o que eu procurava.
Mas eu te pergunto como posso treinar a questão da dinânica no piano. Eu não tenho professor no momento e só tenho um piano digital(dos mais ou menos). E também tenho uma pergunta: pra fazer faculdade de música eu tenho que ter uma base pra eu entrar? Lá eu vou aprender, além da teoria, a tocar o instrumento também?
EU queria entrar numa escola de música, mas não sei se vale mais a pena fazer faculdade. O que você acha?

Viagem secular disse...

Acho que escrevi errado, eu quis dizer que não sei se fazer faculdade de música é melhor do que se eu entrar pra uma escola de música. Sei apenas o básico. O que vai ser melhor pro meu aprendizado?

Stora Carla Nunes disse...

Eu creio que é mais adequado uma Escola de Música, pois é mesmo para instrumentistas/executantes.

A Faculdade tem um ensino mais generalista.

Viagem secular disse...

Você disse: "A Faculdade tem um ensino mais generalista."
Como assim? O que eu vou aprender numa faculdade de música, por exemplo?

Stora Carla Nunes disse...

Aconselho-o a solicitar o currículo do curso à Faculdade que pretende frequentar, para esclarecer as suas dúvidas.